Como é feito o exame grafotécnico?

Como é feito o exame grafotécnico?

Você sabia que é possível identificar a assinatura de alguém através da pressão com que essa pessoa escreve? Descubra o que é a grafoscopia e como é feito o exame grafotécnico.

Você já ouviu falar de uma técnica chamada Grafoscopia? A Grafoscopia é o estudo de documentos e escritas a fim de descobrir sua autenticidade ou não. A metodologia é aplicada por peritos em assinaturas, pois a escrita é mais complexa e singular do que aparenta, necessitando de um especialista para fazer esse tipo de serviço. Os documentos são avaliados em no exame realizado pelos peritos, mas, como é feito o exame grafotécnico?

A ciência diz que cada indivíduo é único, assim como as reações do nosso cérebro e tudo o que ele influência, incluindo a nossa escrita.

Há muito mais detalhes no ato de escrever do que a estética das letras, o espaçamento, os pingos dos “is”, a pressão e a velocidade com que escrevemos é apenas algumas das características analisadas.

Entenda como é feito o exame grafotécnico e qual a importância de peritos em assinaturas profissionais na análise de documentos.

Como é feito o exame grafotécnico?

O exame grafotécnico é realizado por um perito em assinaturas qualificado para descobrir a veracidade do documento.

Não é apenas o caráter estético da assinatura que é avaliado, muitas outras características entram no estudo da grafoscopia.

Só depois de todos os itens serem estudados, analisados e discutidos que o perito chega em sua conclusão final. 

Conheça algumas variáveis que são estudadas no exame grafotécnico:

  • Pressão horizontal e Vertical da caneta no papel.
  • Velocidade de escrita.
  • Como e quais os pontos de retirada do cursor do documento.
  • O espaçamento entre letras e palavras.
  • A altura da palavra em relação às linhas.
  • Se a escrita é linear ou apresenta angulações.
  • Se apresentar angulações, quais são suas tendências.
  • Como as letras são cortadas (como o traço que corta a letra T).
  • Como são feitos os Ç.

A partir dessas e outras variáveis o perito em assinatura consegue analisar coisas indiretamente, como: qual o estado emocional do autor (estados muito tensos divergem a escrita), se ele estava doente, qual a idade, etc.

Além das habilidades do perito, equipamentos como lupas específicas, microscópios, luzes especiais e outros equipamentos auxiliam na análise do documento.

Quais as chances de erro no exame grafotécnico?

Quando uma pessoa mente a respeito de algo, por mais convincente que seja (até para ela mesma), o cérebro sabe exatamente o que está acontecendo e reage a isso, “transmitindo a mentira” para outras coisas.

Mesmo que a pessoa esteja tranquila ao falsificar uma assinatura, cada indivíduo é único e a escrita sofre influência direta nisso.

O exame grafotécnico, quando feito por perito no assunto, é seguro e seus laudos podem ser confiados em situações judiciais, por exemplo.

É muito comum advogados e juízes exigirem o exame grafotécnico em determinados casos e eles valem como evidências, devido sua veracidade.

Qual a importância de um perito em assinaturas de excelência?

Já lhe contamos que o exame grafotécnico é seguro e pode valer até mesmo como provas em um tribunal.

Mas é preciso entender que a grafoscopia é uma ciência complicada, delicada e detalhista. Por isso, não é qualquer pessoa que pode avaliar um documento ou não.

Para não ter incertezas a respeito do laudo gerado pelo perito de assinaturas, é preciso que o mesmo seja um profissional extremamente qualificado.
Isso é um obstáculo no Brasil, pois as técnicas grafoscópicas não são muito difundidas no país e há poucos profissionais competentes nessa área.

Deixe uma resposta

Fechar Menu